sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Porque esconder a verdadde ?

You know we receive an education in the schools from books. All those books that people became educated from twenty-five years ago, are wrong now, and those that are good now, will be wrong again twenty-five years from now. So if they are wrong then, they are also wrong now, and the one who is educated from the wrong books is not educated, he is misled. All books that are written are wrong, the one who is not educated cannot write a book and the one who is educated, is really not educated but he is misled and the one who is misled cannot write a book which is correct.

The misleading began when our distant ancestors began to teach their descendants. You know they knew nothing but they passed their knowledge of nothing to the coming generations and it went so innocently that nobody noticed it. That is why we are not educated.

Now I will tell you what education is according to my reasoning. An educated person is one whose senses are refined. We are born as brutes, we remain and die as the same if we do not become polished. But all senses do not take polish. Some are to coarse to take it. The main base of education is one's "self-respect". Any one lacking self-respect cannot be educated. The main bases of self-respect is the willingness to learn, to do only the things that are good and right, to believe only in the things that can be proved, to possess appreciation and self control.

Now, if you lack willingness to learn, you will remain as a brute and if you do things that are not good and right, you will be a low person, and if you believe in things that cannot be proved, any feeble minded person can lead you, and if you lack appreciation, it takes away the incentive for good doing and if you lack self control you will never know the limit.
So all those lacking these characteristics in their makeup are not educated.

Ed Leedskalnin, 1936.


terça-feira, 7 de agosto de 2012

A Ciência Real


                   Nada se pode falar dessa ciência que é mãe e pai de todas as outras ciências, sem que seja por parábolas, analogias ou linguagem hermética. O nome hermético vem de Hermes Trimegisto o grande mestre que muito a explorou e a divulgou , mas ela é de fácil compreensão para os que tem a pureza no coração e muita boa vontade de superar todos os seus preconceitos

                   Deve-se ter por início, para melhor compreendermos tudo o que se refere a nossa querida ciência que ela em primeiro lugar se refere aos designos de Deus, das suas Leis e como foi operada toda a criação nos três planos (ou mundos).

                   Para que tudo se torne mais claro então, devemos sempre lembrar que a Lei deve sempre ser uma só, além disso, o Criador, o Grande arquiteto do Universo, não faria Leis diferentes para suas criações para Ele mesmo as transgredir, no mínimo não lhe seria necessário

                   Portanto devemos ter por base a Lei de Hermes Trimegisto que diz "O que está em baixo é como o que está acima e o que está acima e como o que está em baixo", referindo-se logicamente aos planos físico, espiritual, mental, e aos reinos animal, vegetal e mineral.

                   Tenhamos em mente que toda a vida do homem, seus problemas, suas fases de evolução do pensamento, inclusive sua possível ascensão à Deus, bem como todas as suas ciências e artes, suas legislações, e toda sua linguagem e forma de expressão, devem necessariamente possuir uma base, um germe, uma ligação qualquer com os princípios divinos, uma vez que fomos criados por Ele, sendo assim temos na profundeza de nosso ser a essência daquele que nos criou.( Eu e meu Pai somos um, dizia Jesus).

                   Sendo assim, "Que a natureza seja nosso guia" pois o processo de geração de uma nova vida é por analogia e comparação o mesmo processo para todos os seres, e através do estudo dessa ciência, teremos condições de desdobrarmos os poderes que agem sobre a matéria, ou seja o poder que fecunda, o que é fecundado e o princípio que acolhe os dois; o ativo, o passivo e o mediador; o Ying o Yang e o equilíbrio, são os princípios criadores da natureza em todos os planos, e se há alguma doença, alguma deformidade, certamente que é pelo desequilíbrio desses mesmos princípios e aquele que os manipula, tem o poder de curar animais, vegetais e minerais.

                   " As coisas são o que parecem ser, ou são mas não parecem ser, ou não são mas parecem ser, ou ainda não são nem parecem ser".

                   " Saber a verdade, Querer o bem, Amar o belo e Fazer o que é Justo. Porque a verdade, o bem, o belo e o justo são inseparáveis, de tal forma que aquele que sabe a verdade não pode deixar de querer o bem, amá-lo porque é belo e fazê-lo porque é justo".



Shanerrai
28.05.1999


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Opções? Escolhas?

Eu tinha aproximadamente 5 anos de idade e viviam me perguntando: O que você vai ser quando crescer? ...
Hoje pode até parecer estranho, mas naqueles dias, isso tornou-se uma coisa que martelava em minha mente, tornou-se uma preocupação. Até que um dia, eu ouvi falar por um colega que existiam "Alquimistas", que eram sábios e que faziam a "pedra filosofal" e o "elixir da longa vida".
Pronto, estava resolvida a minha preocupação, uma voz em minha cabeça falou – Você vai ser Alquimista, sábio e fazer a pedra filosofal e o elixir da longa vida. Mas é claro que com o passar de um pouco de tempo eu esqueci desse dia, depois veio aquela musica que dizia : Os Alquimistas estão chegando . . ., estão chegando os Alquimistas, e na época em que eu ouvi isso, eu já sabia que ser Alquimista era uma coisa impossível, pois não existiam mais tais estudiosos e não havia uma escola para Alquimistas.
Hoje eu sei que muitas escolhas que fazemos durante nossa vida, não são bem escolhas, do puro exercício do livre arbítrio, mas sim imposições do nosso caráter, ou do nosso Karma se preferir.
Aos doze anos, 1976, eu sentia uma fome de conhecimento ,do que era esotérico, dos assuntos místicos, da espiritualidade, e comecei a Ler tudo a respeito que estivesse ao meu alcance, Lobsang Rampa era o escritor da moda que escrevia sobre a Aura e o Tibet, depois veio Kardec , o Livro Apocalipse depois a Bíblia e do restante é claro que perdi a conta e a noção de todos livros que li, sempre com algum conteúdo afim dos assuntos de meu interesse, perdi também a conta das horas em que experimentei exercícios de meditação e tentei coisas tipo viagem astral, visualizações. O que eu não sabia, é que havia em mim uma obstinação escondida lá no fundo de minha alma, uma força que aguardava seu momento para se manifestar, como uma semente que tem seu período de dormência para germinar no momento certo. Por um motivo simples : acesso!. Eu não tinha como ter acesso a livros sobre Alquimia.
Uma imagem que tenho carinhosamente gravada em minha memória, que é para mim de valor incalculável, se é que se poderia avaliar tal fato: a Biblioteca em Macaé nos idos anos 70, não sei precisar a data certa, em que meu tio trabalhava a noite e eu ia lá com meu pai, algumas vezes fechávamos a biblioteca o final do expediente, algo tipo 22 ou 23H, e eu ficava lá procurando livros sobre aquele assunto que eu não tinha coragem de dizer a ninguém qual era – só estou olhando os livros, dizia eu a meu tio. Graças a Deus hoje existe internet.
A semente que havia em mim germinou quando eu li um livro chamado "O Alquimista"- Paulo Coelho , então eu vi que seria possível descobrir livros que realmente tratassem "daquele assunto", detalhe o livro do Paulo Coelho não fala nada de alquimia, é só um romance, e eu já fazia parte da AMORC fazia alguns anos.
Acho que foi no ano de 1996 que "misteriosamente" eu consegui comprar o meu primeiro e principal livro sobre o assunto, o livrão, Símbolos Secretos dos Rosacruzes dos Sec.XVI e XVII, hoje com a internet eu tenho uma biblioteca inteira em arquivos digitais, sendo os escritos de mestre Flamel os que mais admiro e estudo. Nessa época eu comecei a meditar sobre as lâminas do livrão e  comecei a entender de que se tratava a Alquimia, então eu fiz meu juramento de dedicar-me a essa "filosofia que pode ser demonstrada com a prática" (Flamel), estudando e praticando, de jamais abandoná-la, acima de qualquer outro problema que houvesse em minha vida, eu sempre estarei observando, praticando e meditando a Alquimia.
Os caminhos que trilhei para viver esse amor e os caminhos onde essa paixão me levou, são de muito difícil compreensão, ou mesmo incompreensível para uma pessoa que não tenha um sentimento semelhante, algo para fazer uma comparação.
O Laboratório do alquimista é sua própria mente, não importam os cadinhos, vidrinhos, elixires e os sujeitos da obra, a transformação principal definitivamente não é o chumbo em ouro, nem o mercúrio em prata, mas investigar Deus e toda a conseqüência que esse ato trouxe em minha mente prova isso.
Somente nas propagandas da Globo é que ser diferente é legal, ser diferente, principalmente no seu modo de pensar, é terrível, é ser discriminado, é impactar os outros negativamente, as vezes eu sou até mesmo assustador, com minha simples presença, de boca fechada, conseqüências de um magnetismo pessoal diferente do outros. Em outras  acontece ao contrário, as pessoas sentem paz, e contam suas vidas como se estivessem com um amigo de longa data. Mas sempre há o preconceito, a não aceitação, no mínimo a incompatibilidade que prejudica a família e afasta os amigos, que foi me conduzindo a um necessário isolamento.
Mas Deus não pune aqueles que o buscam com sinceridade. A minha visão da realidade foi modificando gradativamente, a compreensão do mundo ao meu redor veio com a prática da Alquimia, prazer e satisfação pessoal não dependem de nada exterior, como escreveu Shakespeare "Eu poderia viver recluso em uma casca de noz e me sentir senhor do universo", enfim há o que se comemorar, ha o que foi perdido e ha o que foi recebido.
Quanto a pedra filosofal, talvez eu a faça hoje, talvez um outro dia, e o elixir..., longa vida..., quem sabe. . . , mas se não for. . . , valeu.
Shanerrai
02/08/2012



segunda-feira, 28 de maio de 2012

Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamento, não se detenha na lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado  mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na bênção de Deus  que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida,  as coisas boas que surgiram nas dificuldades. Elas serão uma prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.

 Uns queriam um emprego melhor;
 outros, só um emprego.
 Uns queriam uma refeição mais farta;
 outros, só uma refeição.
 Uns queriam uma vida mais amena;
 outros, apenas viver.
 Uns queriam pais mais esclarecidos;
 outros, ter pais.

 Uns queriam ter olhos claros;
 outros, enxergar.
 Uns queriam ter voz bonita;
 outros, falar.
 Uns queriam silêncio;
 outros, ouvir.
 Uns queriam sapato novo;
 outros, ter pés.

 Uns queriam um carro;
 outros, andar.
 Uns queriam o supérfluo;
 outros, apenas o necessário.

 Há dois tipos de sabedoria:
 a inferior e a superior.

 A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe
 e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
 Tenha a sabedoria superior.
 Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

 A sabedoria superior tolera;
 a inferior, julga;
 a superior, alivia;
 a inferior, culpa;
 a superior, perdoa; a inferior, condena.
 Tem coisas que o coração só fala
 para quem sabe escutar!
 
Chico Xavier



terça-feira, 1 de maio de 2012

SAMSARA

"E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!". Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderías: "Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: "Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?" pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou, então, como terias de ficar de bem contigo e mesmo com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?"


Friederich Nietzsche


(Copiado daqui : http://gravidaderepulsiva.blogspot.com.br/search?updated-max=2009-05-24T00:28:00-03:00&max-results=1 )