segunda-feira, 28 de maio de 2012

Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamento, não se detenha na lembrança dos momentos difíceis, mas na alegria de haver atravessado  mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na bênção de Deus  que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida,  as coisas boas que surgiram nas dificuldades. Elas serão uma prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.

 Uns queriam um emprego melhor;
 outros, só um emprego.
 Uns queriam uma refeição mais farta;
 outros, só uma refeição.
 Uns queriam uma vida mais amena;
 outros, apenas viver.
 Uns queriam pais mais esclarecidos;
 outros, ter pais.

 Uns queriam ter olhos claros;
 outros, enxergar.
 Uns queriam ter voz bonita;
 outros, falar.
 Uns queriam silêncio;
 outros, ouvir.
 Uns queriam sapato novo;
 outros, ter pés.

 Uns queriam um carro;
 outros, andar.
 Uns queriam o supérfluo;
 outros, apenas o necessário.

 Há dois tipos de sabedoria:
 a inferior e a superior.

 A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe
 e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
 Tenha a sabedoria superior.
 Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

 A sabedoria superior tolera;
 a inferior, julga;
 a superior, alivia;
 a inferior, culpa;
 a superior, perdoa; a inferior, condena.
 Tem coisas que o coração só fala
 para quem sabe escutar!
 
Chico Xavier



terça-feira, 1 de maio de 2012

SAMSARA

"E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes: e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indivisivelmente pequeno e de grande em tua vida há de te retornar, e tudo na mesma ordem e sequência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio. A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!". Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasses assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que lhe responderías: "Tu és um deus e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse: a pergunta diante de tudo e de cada coisa: "Quero isto ainda uma vez e inúmeras vezes?" pesaria como o mais pesado dos pesos sobre o teu agir! Ou, então, como terias de ficar de bem contigo e mesmo com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?"


Friederich Nietzsche


(Copiado daqui : http://gravidaderepulsiva.blogspot.com.br/search?updated-max=2009-05-24T00:28:00-03:00&max-results=1 )