segunda-feira, 14 de novembro de 2011

NAVAJOS

Existe um ditado índio antigo que diz:

que algo vive tanto tempo
quanto a última pessoa que se lembra dele.

Minha cultura passou a acreditar
na memória e não na história.

A memória, como o fogo,
é radiante e imutável,

enquanto a história, serve somente
àqueles que procuram controlá-la,

que conseguem apagar a chama da memória

para extinguir o fogo perigoso da verdade.

Cuidado com aqueles homens,
pois eles são perigosos,

e ignorantes.

Sua falsa história foi escrita
com o sangue daqueles que podem lembrar,

e daqueles que procuram a verdade.

Para os Navajos, a terra e suas criaturas
têm grande influência sobre nossa existência.

As estórias, passadas de geração a geração,

nos ajudam a entender o porquê de tantas
lágrimas não só de tristeza como de alegria.

Animais como o urso, a aranha e o coiote

são símbolos poderosos para a nossa gente.

Quando Mulder, o homem do FBI,
foi curado pelo Povo Sagrado,

nos lembramos da estória do monstro Gila,

que simboliza os poderes curativos
dos curandeiros.

Neste mito, o monstro Gila restaura a pessoa
tirando todas as partes do seu corpo

para depois juntá-las novamente.

Seu sangue é recolhido pelas formigas,

seu olhos e orelhas, pelo sol,

a mente pelo Deus Falante e o Garoto Pólen.

Aí relâmpagos e trovões
devolvem a vida à pessoa.

No final da cerimônia,
depois que o Homem do FBI foi curado,

soubemos através de outros nativos
americanos que vivem nas planícies,

que tinha ocorrido um grande acontecimento.

Como nós, os Navajos, esse povo
tem suas próprias estórias e mitos.

Uma destas estórias conta
que uma mulher branca desceu dos céus

e ensinou aos índios como terem uma vida
louvável e como rezar ao Criador.

Ela disse a esse povo que retornaria um dia.

Aí ela se transformou
num búfalo branco e subiu aos céus,

e nunca mais foi vista.

Porém neste dia, quando o Povo Sagrado
concedeu um milagre ao Homem do FBI,

um búfalo branco nasceu.

E cada nativo americano sabia,
acreditando ou não na estória,

que isto era um grande presságio.

E que grandes mudanças estão vindo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário